Informação e conhecimento, tudo ao seu alcance!

5 sinais de fobia social

5 sinais de fobia social

Quem sofre desse mal acredita que está sendo constantemente avaliado, julgado e apontado.

Saiba como identificar 5 sinais de fobia social.

Um dos maiores males da sociedade atual, a fobia social é um distúrbio que compromete a qualidade de vida. Quem sofre desse mal acredita que está sendo constantemente avaliado, julgado e apontado, o que faz com que atitudes e situações simples de convívio social se tornem verdadeiros dilemas a serem enfrentados.

Conversar, comer na presença de outras pessoas ou mesmo andar na rua pode ser um sacrifício para essas pessoas. Assim, para evitar o sofrimento e se protegerem, o isolamento social ainda lhes parece a melhor – quando não a única – opção.

 

Ajuda profissional

Embora haja tratamentos possíveis, não há uma fórmula mágica capaz de fazer com que se vença a fobia social. O recomendado mesmo ainda é buscar ajuda profissional, a fim de diagnosticar o problema adequadamente e obter a indicação do melhor tratamento, caso a caso.

A fobia social pode atingir qualquer pessoa, sem distinção. Pode ainda ter relação com experiências traumáticas ou humilhantes, bullying e até mesmo possuir componentes hereditários. Atualmente os melhores resultados têm sido obtidos por meio de terapia cognitivo-comportamental. Porém, antes de pensar em tratar, é imprescindível saber reconhecer os indícios que esse transtorno mostra. Confira 5 sinais de fobia social.

 

1. Ansiedade extrema

A preocupação por antecipação e o medo excessivos são sinais de fobia social grave. Costumam manifestar-se como uma ansiedade ou expectativa extrema, que faz com que se antecipe em várias horas (ou dias) absolutamente tudo o que pode acontecer, por exemplo, no caminho de casa até a escola ou o trabalho.

Geralmente essa expectativa é tamanha, que causa taquicardia e suor em excesso, só de imaginar o trajeto, as pessoas, e mais um apanhado de situações que, para a maioria das pessoas, seriam coisas simples e rotineiras.

Como essas sensações de fobia se manifestam regularmente, quem sofre do transtorno pode acabar inclusive desistindo não só dos planos iniciais – ir à escola ou ao trabalho – mas de toda uma convivência social, o que afeta drasticamente sua qualidade de vida.

 

Receba notícias em seu e-mail todo mês 

 

2. Medo de falar em público

Esse é mais um dos sinais de fobia social. Se apresentar um trabalho para toda a classe na escola, participar de reuniões de trabalho ou ser o orador da turma na formatura são situações que, normalmente, já impõem certo nervosismo a qualquer um, imagine a quem sofre do transtorno!

Para essas pessoas, a mínima situação de exposição social é um problema real e insuportável. Há uma tensão muito grande envolvida e que não está só relacionada a falar em público, mas a estar em público, ser o centro das atenções de alguma forma, pois isso gera a constante sensação de que se está sendo avaliado e julgado, o tempo todo, por todos à sua volta. Daí a necessidade de tratar a fobia, a fim de conquistar aos poucos um mínimo de independência que possibilite a convivência com os outros.

 

3. Fazer pouco ou nenhum contato visual

Não se trata de desviar do assunto, mas desviar da pessoa propriamente. Quem tem fobia social, por mais que tente, não consegue fixar o olhar no outro, ainda que ele esteja bem à sua frente. É algo inevitável e incontrolável, e acredite, forçar esse contato visual não vai acabar bem.

Por ser um dos sinais de fobia social mais fáceis de notar, é também mais simples a forma de tentar amenizar o constrangimento: sabendo da situação, o ideal é não pressionar e deixar que essa pessoa perceba que seu espaço pessoal será devidamente respeitado.

 

4. Evitar ambientes com muitas pessoas

Outro sinal de alerta de fobia social é evitar permanecer em ambientes com muitas pessoas. Nesses casos, ruas movimentadas ou transportes coletivos podem ser uma fonte de tortura e pavor indescritível.

Caso perceba um sintoma como este, é altamente recomendada a ajuda de um especialista que possua conhecimentos de terapias contra a fobia social.

 

Artigos Relacionados

 

5. Achar que não consegue fazer nada

A ansiedade e a falta de confiança em si mesmo andam comumente junto da fobia social. Desta forma, ainda que possua as habilidades para desempenhar a contento uma determinada tarefa, a fobia impede a pessoa de se sentir capaz, e ela simplesmente não a realiza como poderia.

Pessoas que sofrem de fobia social padecem, antes de tudo, do medo constante de serem julgadas negativamente pelos outros. É por essas e outras inúmeras razões que se sentem desconfortáveis em situações de convívio social, às vezes bastando-lhes imaginar essa situação, para entrarem em crise.

O recomendado, em caso de suspeita ou de vir a apresentar qualquer um desses sintomas, é procurar ajuda especializada o quanto antes, a fim de evitar que o problema se agrave e que o sofrimento se prolongue.

 

A Clínica Marcelo Parazzi

Além de se fundamentar na Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) e oferecer todo o tratamento tradicional por meio de psiquiatras, psicólogos e psicanalistas para tratar fobia social, ansiedade, depressão e outros transtornos, a Clínica Marcelo Parazzi também dispõe de Terapia Holística, que desenvolve estratégias terapêuticas como Reiki, Yoga, Meditação, Constelação Familiar e Mindfulness (Consciência plena), para auxiliar no alcance de melhores resultados nos tratamentos dos pacientes, que são, comprovadamente, grandes aliados na recuperação desses indivíduos.

 

Estamos à disposição para auxiliar com a Terapia à Distância, realizando atendimento via Skype, inclusive para pessoas que residem fora do país.

 

Agende sua primeira consulta. Ela é gratuita!