Informação e conhecimento, tudo ao seu alcance!

Prevenção em Saúde Mental para crianças e adolescentes

Prevenção em Saúde Mental para crianças e adolescentes

A família necessita ser, fator de prevenção em saúde mental para seus membros.

 

O que uma sociedade pode oferecer de melhor aos cidadãos é sem dúvidas, a prevenção para os males que podem nos acometer. Isso não é diferente quando falamos em saúde mental, muito pelo contrário, este é um importantíssimo tema com larga relevância social.

Ao logo de nossa breve exposição, demonstraremos alguns itens, que visam auxiliar os leitores a identificarem aspectos importantes no desenvolvimento de crianças e adolescentes.

 

O que é?

Prevenção em saúde mental pode ser um conjunto de ações realizadas em diversas escalas sociais, mas daremos foco no âmbito familiar. Isso significa dizer que a família pode ser e, na verdade, necessita ser, fator de prevenção em saúde mental para seus membros.

Qualquer agente familiar pode realizar ações protetoras aos indivíduos com os quais convive, porém, espera-se que, primordialmente os pais, sejam esses agentes na formação de filhos, cognitiva e emocionalmente saudáveis.

Um lar que pratica a prevenção em saúde mental, deverá conter alguns itens indispensáveis ao dia a dia dos seus membros.

 

Harmonia, tolerância, amor recíproco...

Precisa ser um espaço harmonioso, mas com isso, não queremos dizer ausente de conflitos, mas sim, não violento e que se tem espaço para o amor recíproco entre os integrantes. Ainda em relação a harmonia, os pais precisam ter bom convívio entre si, necessitam filtrar seus conflitos, há que se apresentar aos filhos o que é o respeito ao próximo a partir de si próprios.

Um ambiente tolerante, quanto as diferenças entre os seus membros, sempre deixando aberto o espaço para o diálogo e a discussão de quaisquer temas de interesse humano. Nesse quesito, é sempre importante que os pais busquem informações, sobre a infância, sobre a adolescência e sobre temas variados, que cercam a vida dos filhos, tais como, sexualidade, drogas, desempenho escolar, redes sociais, amigos e familiares dos amigos, dentre outros.

Todo lar precisa considerar momentos diários de integração de seus membros, isso pode ocorrer, por exemplo, em jantas que todos realizam conjuntamente, sentados à mesa, sem a interferência de televisão e redes sociais digitais.

As pessoas precisam se olhar, os pais devem se interessar pelo dia dos filhos, precisam ter cautela ao aprovar ou desaprovar comportamentos. Ao desaprovar, isso precisa ocorrer sem ofensas, com diálogo e aceitação das diferenças e tolerância aos naturais erros de seres em desenvolvimento e aprendizagem.

Há que se ter a devida atenção com o risco de insucesso escolar, para que ao mínimo sinal de dificuldades, se busque alternativas para o problema. Assim, problemas no desenvolvimento cognitivo e emocional do jovem, podem ser evitados, além de futuras buscas para se tentar suportar essas tensões, como a busca pelas drogas.

 

Estimule a autonomia

Estimular a autonomia é outro importante aspecto a ser incorporado e aplicado pelos pais, pois assim a criança cresce desenvolvendo boa autoestima e percepção de suas capacidades.

Um lar organizado a partir de regras e limites bem definidos aos seus membros e que seja colaborativo nas tarefas do cotidiano, ajuda muito em vários sentidos, como por exemplo, no desenvolvimento da autonomia e de diversas habilidades sociais.

 

Conclusão

Enfim, pode-se observar que o diálogo e o interesse pelos membros da família, o lar harmonioso, empático e regrado, são partes fundamentais para se aumentar as chances de pessoas com saúde mental e prevenir depressões, quadros de ansiedade, dependência química, dentre tantos outros transtornos.   

Olhe para o seu ambiente familiar, questione o que está presente e o que está ausente dele, mas não se apegue em justificativas, desenvolva iniciativas de mudanças, leia, pesquise. Mas se ainda assim, tiver dificuldades, o que é bastante comum e compreensivo, busque ajuda de um profissional da psicologia.   

           

Referências:

Fatores de risco e fatores de proteção ao desenvolvimento infantil: uma revisão da área

Influências ambientais na saúde mental da criança

Repositório Aberto