fbpx

Como ajudar alguém com vício em jogos de azar

Início > Blog > Como ajudar alguém com vício em jogos de azar

Como ajudar alguém com vício em jogos de azar

O vício em jogos de azar é uma realidade que afeta milhões de pessoas em todo o mundo, sendo uma preocupação crescente de saúde pública.

A compulsão por jogos pode se manifestar de diversas formas, desde apostas esportivas até jogos de cassino online, e pode ter impactos devastadores na vida dos indivíduos e de seus familiares.

Para aqueles que observam alguém querido lutando contra esse vício, pode ser desafiador saber como oferecer ajuda eficaz.

Para saber como apoiar adequadamente alguém que esteja enfrentando essa difícil jornada de recuperação é preciso, antes de tudo, aprofundar os conhecimentos a respeito do mundo do vício em jogos, explorando e aprendendo a reconhecer os possíveis sintomas, as causas e os tratamentos disponíveis.

 

Os sintomas

Os jogos de azar despertam prazer imediato, tanto quanto as drogas, e podem instigar diversas partes do cérebro, como o córtex pré-frontal, responsável pelas tomadas de decisões, e o córtex frontal orbital, que regula o controle das emoções. 

Com essas duas capacidades “sequestradas”, o indivíduo fica completamente à mercê do vício.

O vício em jogos de azar é caracterizado por um padrão persistente de comportamento de jogo, apesar das consequências negativas que ele pode trazer.

Alguns dos sintomas comuns incluem:

  • Incapacidade de controlar ou interromper o comportamento de jogo;
  • Priorização do jogo sobre outras atividades importantes;
  • Mentiras sobre o tempo ou dinheiro gasto com o jogo;
  • Excesso de competitividade, que pode se refletir no dia a dia;
  • Sentimentos de culpa ou remorso após o jogo;
  • Necessidade de jogar com quantias cada vez maiores para sentir a mesma emoção;
  • Não admitir que está viciado;
  • Ocultar as perdas e gabar-se das mínimas vitórias (quando ocorrem);
  • Cometer furtos ou outros crimes para manter o vício ou saldar dívidas;
  • Preocupação constante com o jogo, mesmo quando não está jogando.

Lembrando que esses são apenas alguns, dentre os muitos sinais de vícios em jogos de azar. Outro ponto importante é que, normalmente, os sintomas podem ser mascarados ou ocultos pelo próprio jogador compulsivo, o que pode atrasar ou dificultar ainda mais o diagnóstico, bem como o tratamento necessário.

 

Causas do vício em jogos de azar

As causas do vício em jogos de azar são multifacetadas e podem variar de pessoa para pessoa. Tudo pode começar com a ideia de se distrair e afastar o tédio, e acabar se tornando um problema mais grave.

Alguns dos fatores que podem contribuir para o desenvolvimento desse tipo de vício incluem:

  • Fatores genéticos: Estudos sugerem que a predisposição genética pode aumentar o risco de desenvolver um vício em jogos de azar.
  • Fatores ambientais: Exposição precoce ao jogo, influência de amigos ou familiares que jogam e acesso fácil a jogos de azar podem contribuir para o desenvolvimento do vício.
  • Problemas psicológicos: O vício em jogos de azar pode ser uma forma de lidar com problemas emocionais, como ansiedade, depressão ou estresse.

Além de causar prejuízos drásticos à qualidade de vida das pessoas, o vício em jogos causa tantos problemas de saúde física e mental que chegou a ser reconhecido oficialmente como um transtorno com direito a código CID, isto é, tecnicamente, uma doença reconhecida até mesmo nos padrões internacionais.

 

Consequências do vício em jogos de azar

Da mesma forma que todos os transtornos mentais ou de comportamento, as consequências advindas dos vícios em jogos de azar podem desajustar completamente os laços com as pessoas mais próximas, como amigos e familiares, por exemplo.

Em muitos casos, esses problemas relacionais se devem precisamente ao que o indivíduo viciado está disposto a fazer para manter seu vício, o que pode inclusive prejudicar financeiramente e até endividar não só o dependente, mas também outras pessoas próximas.

Esse tipo de situação acaba minando as relações interpessoais, gerando uma quebra de confiança em relação à pessoa que sofre de compulsão.

 

Artigos Relacionados

 

Tratamentos

Felizmente, existem várias opções de tratamento disponíveis para ajudar aqueles que lutam contra o vício em jogos de azar.

Alguns dos tratamentos mais comuns incluem atuações multidisciplinares, como a psicoterapia, internações em clínicas ou mesmo frequentar grupos de apoio.

 

1. Psicoterapia

Sessões de psicoterapia, como a Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC), podem ser eficazes no tratamento do vício em jogos de azar.

A TCC ajuda os indivíduos a identificarem e modificarem padrões de pensamento e comportamento prejudiciais associados ao jogo compulsivo, ressignificando toda a rotina de hábitos nocivos, substituindo-os por alternativas saudáveis e emoções positivas.

 

2. Clínicas de reabilitação

Para casos mais graves de vício em jogos de azar, a internação em uma clínica de reabilitação pode ser necessária.

Essas clínicas oferecem um ambiente seguro e estruturado, onde os indivíduos podem receber tratamento intensivo e suporte emocional com equipes especializadas e capacitadas para o atendimento multidisciplinar.

 

3. Grupos de apoio

Participar de grupos de apoio, como Jogadores Anônimos, pode ser uma fonte valiosa de suporte para aqueles que lutam contra o vício em jogos de azar.

Esses grupos oferecem um espaço para compartilhar experiências, receber orientação e obter apoio emocional de outras pessoas que enfrentam desafios semelhantes.

As reuniões nesses tipos de grupos normalmente são conduzidas por psicólogos e, na maioria das vezes, ocorrem em organizações sem fins lucrativos.

 

6 formas de ajudar um dependente em jogos de azar

Ajudar um viciado em jogos de azar pode ser desafiador, e a maioria das pessoas sequer sabe por onde começar.

Contudo, se você tem um familiar ou amigo lutando contra o vício em jogos de azar, há várias maneiras pelas quais você pode oferecer suporte:

  1. Aborde o assunto com compaixão e empatia, evitando julgamentos ou críticas;
  2. Ofereça-se para ajudar a encontrar tratamento e recursos de apoio;
  3. Esteja disponível para ouvir e suporte apoio emocional durante os momentos difíceis;
  4. Incentive a pessoa a participar de grupos de apoio e a buscar ajuda profissional quando necessário;
  5. Não elogie ou presenteie alguém por comportamentos que possam incentivar o vício (ainda que não se referindo ao viciado em si);
  6. Estabeleça limites saudáveis ​​e proteja suas próprias necessidades enquanto oferece suporte a alguém com um vício em jogos de azar.

 

O apoio é fundamental

O processo de desconstrução de um vício pode ser bastante longo, mas é possível oferecer suporte significativo e auxiliar na busca por tratamento e recuperação.

O apoio familiar é um dos fatores imprescindíveis à recuperação de qualquer indivíduo viciado.

É importante sempre lembrar que se trata de transtorno cujas soluções nem sempre serão fáceis, mas que elas existem e se tornam fardos menos pesados quando se conta com a ajuda de pessoas de confiança, ou com quem se tem algum laço importante, como os familiares e as amizades, por exemplo.

Ao reconhecer desde o início dos sintomas do vício, entender suas causas e fornecer suporte emocional e prático, você pode desempenhar um papel importante no caminho para a recuperação da pessoa.

Lembre-se de que o vício em jogos de azar é uma condição tratável, e há esperança real para aqueles que estão lutando para vencer essa batalha.

Quer conversar sobre o assunto? Agende uma consulta!

 

Clínica Marcelo Parazzi

A Clínica Marcelo Parazzi pode ajudar se você ou algum familiar tem sofrido com vício em jogos de azar.

Nossa abordagem combina Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC), por meio de tratamentos tradicionais com psiquiatras, psicólogos e psicanalistas, e terapias complementares que comprovadamente auxiliam nos resultados do tratamento.

Oferecemos Terapia à Distância para pessoas que residem fora do país. Agende sua avaliação e dê o primeiro passo para a recuperação.

ARTIGOS RELACIONADOS

O que é depressão

Conhecida atualmente como o “mal do século XXI”, a depressão é uma das condições de saúde mental mais comuns e debilitantes do mundo, e […]

Continuar Lendo

Crise de ansiedade: 5 dicas para controlar um desequilíbrio súbito

As crises de ansiedade já podem ser consideradas um dos maiores males da atualidade.  Hoje em dia, tornou-se praticamente impossível não pertencer a essas […]

Continuar Lendo