Informação e conhecimento, tudo ao seu alcance!

O que causa a fobia social?

O que causa a fobia social

Na atualidade, esse tipo de transtorno vem crescendo cada vez mais em nível mundial.

Você sabe o que causa a fobia social?

É muito provável que todo mundo conheça alguém com algum tipo de dificuldade nos relacionamentos interpessoais. Aquele amigo muito tímido, que às vezes parece pouco sociável e prefere ficar sozinho no seu canto, por exemplo. O fato é que, especialmente quando em ambientes com desconhecidos, a maioria das pessoas reage exatamente assim, e isso, por si só, não caracteriza qualquer tipo de transtorno ou fobia social. Trata-se, na verdade, de momentos de introspecção, uma espécie de autodefesa típica dessas situações e inerente a qualquer pessoa.

Porém, em alguns casos específicos, há sim motivos para preocupação. Muito além de simplesmente serem classificados como extrovertidos ou introvertidos, quando os comportamentos de um indivíduo passam a interferir em sua rotina ou bloquear sua capacidade de ação, fazendo com que evite a qualquer custo o contato social, há grandes chances de estarmos diante de um quadro de fobia social.

Leia também o artigo Como fica nossa saúde mental pós-pandemia?

 

O que é fobia social

Mais comumente conhecida como transtorno de ansiedade social, a fobia social é um transtorno psiquiátrico geralmente causado por quadros clínicos de ansiedade. Na atualidade, esse tipo de transtorno vem crescendo cada vez mais em nível mundial, e esses dados podem variar ainda mais localmente, quando considerada a influência do ambiente nas relações sociais, bem como outros fatores que possam levar ao desenvolvimento desse tipo de fobia.

E mesmo que as circunstâncias de isolamento social obrigatório impostas nos últimos tempos ainda não sejam um fator preponderante, podem acabar servindo como uma maneira de ocultar possíveis quadros clínicos, que certamente seriam mais perceptíveis em situações de contato presencial. Além disso, estudos recentes comprovam que os casos de depressão durante o período de isolamento aumentaram consideravelmente.

 

Artigos Relacionados

 

Fobia e timidez: uma linha tênue

Infelizmente, muitos casos de fobia social ainda são confundidos com timidez, o que pode atrapalhar bastante um diagnóstico mais preciso dessa condição. É imprescindível ter em mente que há sim uma linha bastante tênue entre uma condição de timidez extrema e um quadro de fobia. Dessa forma, quando a timidez se torna causa de prejuízos pessoais ou profissionais, podendo levá-lo a mudar completamente sua rotina e até mesmo procurando evitar totalmente situações de convívio social, pode ser sinal de que a timidez inicial deu lugar a um quadro mais grave, o da fobia.

Ao contrário das situações de timidez, cabe salientar que as dificuldades de comunicação de um indivíduo que sofre de fobia social não se atêm a casos em que ele precise interagir ou se comunicar com estranhos. Na verdade, os transtornos de fobia se apresentam inclusive em relação a pessoas muito próximas, chegando muitas vezes ao extremo de demonstrar receio de realizar atividades simples como ler, escrever ou mesmo comer na presença de outras pessoas.

 

O que causa a fobia social

Diversos fatores – desde a genética até influências do meio em que o indivíduo está inserido – podem contribuir para a formação de um quadro clínico de fobia social. 

Algumas dessas causas incluem fatores hereditários, alterações na estrutura cerebral, influência do meio onde vivem, traumas ou experiências negativas, exposição frequente a fatores de risco na infância, temperamento e até mesmo a persistência de novas situações que demandem interação social.

 

Receba notícias em seu e-mail todo mês

 

Principais sintomas dessa condição

Os sintomas mais característicos são relativamente simples de serem percebidos, e podem ser timidez, introversão, dificuldade em socializar e pouca habilidade de comunicação, além de medo, insegurança e quadros de ansiedade. Sabendo o que causa a fobia social, vale lembrar que os sintomas mudam a rotina de quem os apresenta, sendo que essas pessoas podem inclusive chegar a preferir o isolamento completo.

Dentre os sintomas físicos, os mais comuns costumam ser:

  • suor excessivo;

  • taquicardia;

  • respiração ofegante;

  • rubor facial;

  • tremor;

  • alterações na voz;

  • alterações gastrointestinais.

 

Em casos de crianças, nota-se também o choro contínuo e quadros constantes do que muitos intitulam como birra.

 

Tratamento da fobia social

O tratamento varia caso a caso, mas via de regra, costuma englobar combinações diversas entre psicoterapia (terapia cognitivo-comportamental), tratamentos clínicos e/ou psiquiátricos, além do uso de medicação, quando se fizer necessário. Essas técnicas, aliadas complementarmente umas às outras, geram resultados bastante animadores na maioria dos pacientes.

 

A Clínica Marcelo Parazzi

Além de se fundamentar na Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) e oferecer todo o tratamento tradicional por meio de psiquiatras, psicólogos e psicanalistas para tratar a ansiedade e outros transtornos, a Clínica Marcelo Parazzi também dispõe de Terapia Holística, que desenvolve estratégias terapêuticas como Reiki, Yoga, Meditação, Constelação Familiar e Mindfulness (Consciência plena), para auxiliar no alcance de melhores resultados nos tratamentos dos pacientes, que são, comprovadamente, grandes aliados na recuperação desses indivíduos.

Agende sua primeira consulta. Ela é gratuita e pode ser realizada via skype.

 

Quer saber mais sobre o que causa a fobia social ou ficou com alguma dúvida em relação ao assunto? Entre em contato conosco. Nós podemos ajudar!