fbpx

Quais as causas da depressão pós-parto?

Início > Blog > Quais as causas da depressão pós-parto?

Quais as causas da depressão pós-parto?

A depressão pós-parto é uma condição de saúde mental que afeta algumas mulheres após o nascimento de um bebê.

É mais do que apenas sentimentos temporários de tristeza ou melancolia que muitas mulheres experimentam nos primeiros dias após o parto, como o baby blues, também conhecido como tristeza pós-parto.

É uma forma mais grave de depressão que pode ocorrer dentro das primeiras semanas ou meses após o parto e pode persistir por mais tempo se não for tratada adequadamente.

Conheça as causas da depressão pós-parto.

 

Causas da Depressão pós-parto

A depressão pós-parto é uma condição complexa e multifatorial, ou seja, não há uma única causa específica que possa ser apontada como responsável pelo seu desenvolvimento.

No entanto, existem diversos fatores que podem contribuir para o surgimento dessa condição. As causas da depressão pós-parto mais comuns incluem mudanças físicas, problemas emocionais e alguns fatores extras de risco.

 

Alterações físicas

Durante a gravidez e o parto, o corpo da mulher passa por uma série de transformações hormonais e físicas.

Essas mudanças podem afetar o equilíbrio químico do cérebro, o que pode contribuir como uma das causas da depressão pós-parto.

Além da alteração dos níveis de estrogênio e progesterona, que costumam cair muito após o parto, a fadiga física, a dor e o desconforto também podem contribuir para a ocorrência de sintomas depressivos.

 

Alterações emocionais

A maternidade traz consigo uma série de mudanças emocionais e psicológicas significativas.

A mãe, que já passou os últimos meses da gestação sofrendo com o excesso de peso e o inchaço, agora experimenta longos períodos sem a possibilidade de uma boa noite de sono.

Todas essas privações aumentam ainda mais o estresse, a ansiedade, a sensação de sobrecarga, a insegurança em relação a ser uma boa mãe e até mesmo quanto ao próprio corpo, e podem desencadear ou agravar a depressão pós-parto.

Além disso, problemas emocionais anteriores, como histórico de transtornos de humor, depressão prévia ou ansiedade, podem aumentar o risco de desenvolver a condição.

 

Fatores de risco relacionados às causas da depressão pós-parto

Existem alguns fatores de risco que aumentam a probabilidade de uma mulher desenvolver depressão pós-parto, mesmo que não seja na primeira gestação.

Entre os principais fatores devem ser considerados:

  • histórico pessoal ou familiar de depressão, ou transtornos de humor ou bipolaridade;
  • gravidez indesejada;
  • problemas de ordem financeira;
  • falta de suporte familiar ou social;
  • eventos estressantes durante a gravidez ou após o parto;
  • complicações no parto;
  • problemas de saúde do bebê;
  • experiências traumáticas prévias;
  • baixa autoestima;
  • dificuldade nos relacionamentos interpessoais, entre outros.

 

Artigos Relacionados

 

Considerações além das causas da depressão pós-parto

Mais do que saber quais são as causas da depressão pós-parto, é fundamental compreender as possíveis complicações associadas a essa condição.

Isso é importante especialmente porque não afeta apenas à mãe e, caso não seja tratada, a depressão pós-parto pode também ter impacto significativo no pai e até no desenvolvimento da criança.

 

Para a mulher

A depressão pós-parto pode durar muito tempo, e levar a um prejuízo significativo na qualidade de vida da mãe.

Ela pode experimentar dificuldades no cuidado com o bebê, problemas de sono, isolamento social, perda de interesse em atividades antes apreciadas, falta de energia, dificuldade de concentração e pensamentos recorrentes de morte ou suicídio.

Além disso, a depressão pós-parto não tratada pode aumentar o risco de desenvolver outros problemas de saúde mental no futuro.

 

Para o bebê

Bebês de mães com depressão pós-parto podem enfrentar algumas dificuldades no seu desenvolvimento emocional e comportamental.

Eles podem apresentar problemas de sono, dificuldades de alimentação, atraso no desenvolvimento da linguagem, problemas de vínculo emocional com a mãe e maior risco de desenvolver problemas de saúde mental ao longo da vida.

 

Para o parceiro

Naturalmente vinculado a esta situação, o novo papai também pode ser afetado pela depressão pós-parto da parceira.

Ele pode experimentar sentimentos de tristeza, estresse, ansiedade e sobrecarga emocional. Além disso, a depressão pós-parto da mãe pode afetar negativamente o relacionamento do casal e o envolvimento paterno no cuidado do bebê.

 

Ajuda profissional

Se você está enfrentando sintomas de depressão pós-parto, é fundamental procurar ajuda profissional.

Preparar-se para a consulta com um psiquiatra ou psicólogo pode ser útil para aproveitar ao máximo o tempo e obter o apoio necessário.

 Em momentos como esses, nos quais a fragilidade pode aumentar ainda mais, é importante ter por perto alguém de confiança, que pode ser um membro da família, um amigo ou cônjuge, a fim de servir de rede de apoio, especialmente para que todas as possíveis dúvidas sejam tiradas devidamente, e não sobre nenhuma pergunta sem fazer, seja por nervosismo ou esquecimento.

Há uma série de perguntas que podem ser feitas, mas o mais importante é tirar as dúvidas e sanar algumas inseguranças que possam existir. 

Obviamente, com o objetivo de adequar o tratamento e conhecer com mais detalhes a situação com que está lidando, o profissional também pode precisar fazer algumas perguntas.

Esses questionamentos são essenciais para avaliar adequadamente a saúde mental da paciente e determinar se os sintomas estão relacionados à depressão pós-parto ou a outras condições como o baby blues, por exemplo.

A partir das respostas, o psiquiatra ou psicólogo poderá desenvolver um plano de tratamento personalizado para ajudar a paciente a enfrentar os desafios emocionais da maternidade e buscar o bem-estar emocional e mental.

Quer conversar sobre o assunto? Agende uma consulta!

 

Clínica Marcelo Parazzi

Se você ou algum familiar tem sofrido com alguma dessas condições, a nossa clínica pode ajudar.

Além de se fundamentar na Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) e oferecer todo o tratamento tradicional por meio de psiquiatras, psicólogos e psicanalistas para tratar ansiedade, depressão e outros transtornos, a Clínica Marcelo Parazzi também dispõe de Terapia Holística, que desenvolve estratégias terapêuticas como Reiki, Yoga, Meditação, Constelação Familiar e Mindfulness (Consciência plena), para auxiliar no alcance de melhores resultados nos tratamentos dos pacientes, que são, comprovadamente, grandes aliados na recuperação desses indivíduos.

Estamos à disposição para auxiliar com a Terapia à Distância, realizando atendimento inclusive para pessoas que residem fora do país.

Agende sua avaliação agora!

Teste online Escala de Depressão Pós-Parto de Edimburgo - faça agora!

ARTIGOS RELACIONADOS

O que é depressão

Conhecida atualmente como o “mal do século XXI”, a depressão é uma das condições de saúde mental mais comuns e debilitantes do mundo, e […]

Continuar Lendo

Crise de ansiedade: 5 dicas para controlar um desequilíbrio súbito

As crises de ansiedade já podem ser consideradas um dos maiores males da atualidade.  Hoje em dia, tornou-se praticamente impossível não pertencer a essas […]

Continuar Lendo