fbpx

Terapia Cognitivo-Comportamental para dependência química: entenda o tratamento

Início > Blog > Terapia Cognitivo-Comportamental para dependência química: entenda o tratamento

Terapia Cognitivo-Comportamental para dependência química: entenda o tratamento

Entenda como é a Terapia cognitivo-comportamental para dependência química.

Um dos grandes desafios da área da Psicologia é o tratamento de dependência química. O objetivo maior é promover mais qualidade de vida para os pacientes, evitando o uso de substâncias psicoativas. Entretanto, como realizar esse feito?

Uma abordagem eficaz para trabalhar vícios, crenças limitantes e comportamentos disfuncionais é por meio da Terapia Cognitivo-Comportamental para dependência química.

Neste artigo, abordaremos como ela acontece.

 

Dependência química segundo a Terapia Cognitivo-Comportamental

Antes de saber como é a Terapia Cognitivo-Comportamental para dependência química, é importante entender o que é dependência química segundo essa terapia cognitivo-comportamental (TCC).

A TCC define que dependência química é uma patologia baseada na relação que o indivíduo apresenta com as formas de consumo de determinada substância. Sendo assim, o trabalho psicológico é voltar os olhos para essa relação.

É essencial entender o que provocou o indivíduo a desenvolver a dependência, verificando questões cognitivas, psicológicas, emocionais, sociais e biológicas.

E para esse entendimento é fundamental estudar os níveis de tolerância apresentados, a idade do paciente e os sintomas característicos do seu quadro clínico. 

 

Níveis individuais de dependência

Como cada pessoa estabelece uma relação particular com a substância, os níveis de dependência são individuais. E estes são classificados conforme o manual de diagnósticos conhecido como DSM-5 (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais)

Entretanto, apesar de classificar os transtornos, determinando os parâmetros do diagnóstico e relacionando o nível de intoxicação, a forma de uso e a dependência, o material não serve como guia de tratamento.

 

Artigos Relacionados

 

Terapia Cognitivo-Comportamental para dependência química

A Terapia Cognitivo-Comportamental para dependência química é um tratamento amplo e apresenta diversas ferramentas que podem ser usadas simultaneamente, enquanto o paciente recebe um atendimento especializado.

A TCC trabalha de forma única, ou seja, um modelo para cada tipo de paciente, a depender do quadro clínico apresentado pelo indivíduo. 

Dessa forma, cabe ao psicólogo verificar, através de entrevista motivacional, que nível de dependência o paciente apresenta. E a partir desse ponto trabalhar no indivíduo suas resistências e incertezas, e iniciar sua mudança biopsicossocial, pois o uso exagerado de substâncias é uma forma de comportamento disfuncional que pode ser modificado com o acolhimento qualificado.

 

Principais estratégias da Terapia cognitivo-comportamental para dependência química

Existem estratégias principais para casos clínicos mais comuns e estas são ajustadas para o quadro de cada paciente. Confira!

  • Pacientes com resistência à mudança: nesses casos, deve-se evitar o confronto, acolher a ambivalência, acompanhar o processo e motivar a mudança.
  • Pacientes que escolheram cessar o uso: é necessário identificar os sinais de abstinência, acompanhar o processo e prevenir a recaída.
  • Pacientes em abstinência: desenvolver estratégias comportamentais, cognitivas e internas para que o paciente aprenda evitar recaídas.

De forma geral, para que haja uma melhora nos relacionamentos e uma recolocação no mercado de trabalho, é fundamental superar as barreiras da ambivalência e da resistência.

 

Resultados da Terapia Cognitivo-Comportamental para dependência química

A TCC trabalha muito o estreitamento da relação através de uma personalização do acolhimento, sendo esse o aspecto mais importante do tratamento e onde reside a eficácia do trabalho.

As sessões acontecem a partir do momento em que o indivíduo expõe suas crenças, seus comportamentos, suas atitudes, seja em um caso de abstinência ou resistência. 

Vale lembrar que podem ocorrer oscilações durante o tratamento, melhoras e recaídas e, por isso o acompanhamento contínuo e a motivação do indivíduo são fundamentais.

Somente dessa forma, tanto o profissional quanto o paciente serão capazes de lidar com sucessos e fracassos que esse processo apresenta.

Quer conversar sobre o assunto? Agende uma consulta!

 

Clínica Marcelo Parazzi

Se você ou algum familiar tem sofrido com dependência química e sua relação com depressão e ansiedade, a nossa clínica pode ajudar.

Além de se fundamentar na Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) e oferecer todo o tratamento tradicional por meio de psiquiatras, psicólogos e psicanalistas para tratar ansiedade, depressão e outros transtornos, a Clínica Marcelo Parazzi também dispõe de Terapia Holística, que desenvolve estratégias terapêuticas como Reiki, Yoga, Meditação, Constelação Familiar e Mindfulness (Consciência plena), para auxiliar no alcance de melhores resultados nos tratamentos dos pacientes, que são, comprovadamente, grandes aliados na recuperação desses indivíduos.

Estamos à disposição para auxiliar com a Terapia à Distância, realizando atendimento inclusive para pessoas que residem fora do país. 

Agende sua primeira consulta.

E-book Como convencer um dependente químico a se tratar - baixe agora!

ARTIGOS RELACIONADOS

Motivadores e causas da dependência química

A dependência se inicia quando as drogas são utilizadas para suprir necessidades do organismo ou emocionais. Entenda quais são os motivadores e causas da […]

Continuar Lendo

Como se livrar do vício em apostas online

O vício em jogos de azar, especialmente em apostas online, é um problema crescente em muitas partes do mundo. O fácil acesso à internet […]

Continuar Lendo